Diocese de Guarulhos

SÃO PAULO - BRASIL

“O Senhor fez em mim maravilhas.” (Lc 1,49)

Categorias
Artigos Enfoque Pastoral

“Em tudo dai graças!” (1Tes 5,18)

Amados diocesanos, estamos chegando ao término de mais um ano e somos todos convidados a dar graças ao Senhor por nos permitir, aos poucos, retomar nossas diversas atividades pastorais, serviços e movimentos em nível paroquial e diocesano, ao longo deste ano que se encerra. “Vivei sempre contentes. Orai sem cessar. Em todas as circunstâncias, dai graças, porque esta é a vosso respeito a vontade de Deus em Jesus Cristo.” (1Tes 5,16-18).

Nesta que é a última edição do ano da Folha Diocesana, quero agradecer a todos assessores e coordenadores diocesanos das pastorais, movimentos, e serviços diocesanos. Agradeço também a todos que, em suas paróquias, aos poucos retornaram às atividades pastorais e assim, dinamizando a vida em sua comunidade. No decorrer deste período, grandes desafios foram enfrentados, e felizmente sobre a condução de nosso bispo Dom Edmilson, devemos render graças ao Senhor que cuida do seu povo através da sua Igreja e Seu amor sempre fiel.

Este ano, também, tivemos nossa XI Assembleia Diocesana, a consulta do sínodo dos bispos de 2023, os desdobramentos da Assembleia Diocesana nas paróquias e nas foranias. Momentos estes, já frutuosos, e que nos preparam para viver um novo ano cheios do Amor de Deus em nossas vidas, comunidades e nas mais diversas atividades pastorais paróquias e diocesanas.

Em foco pastoral neste mês, temos os nossos grupos de rua que já iniciaram a Novena de Natal nas casas e nas igrejas. Este ano a novena, tem como intenção principal as famílias, o que nos dá a graça e a oportunidade de retornarmos os pequenos grupos de reflexão nas casas, não só com a novena mas também com o santo terço e a leitura orante. Coragem!

Roguemos a Virgem Imaculada, padroeira de nossa Diocese e da Cidade, para que sejamos dóceis à Palavra de Deus, e que Cristo Jesus, Palavra Eterna do Pai, habite em nós e gere em nós a conversão, a vida Eterna. Um feliz e abençoado Natal a todos e um Ano Novo cheio de bençãos e felicidade a todos.

 

Pe. Marcelo Dias Soares

Coordenador Diocesano de Pastoral

Categorias
Artigos CNBB Enfoque Pastoral

Mensagem da Presidência da CNBB – Conclusão do processo eleitoral 2022

A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou no dia 31 de outubro, uma mensagem sobre a conclusão das Eleições 2022.  O momento, segundo a mensagem, “convoca-nos, ainda mais, para a reconciliação, essencial ao novo ciclo que se abre”.

A presidência da CNBB aponta o caminho que todos os brasileiros, indistintamente, precisam trilhar: acompanhar, exigir e fiscalizar aqueles que alcançaram êxito nas urnas. “O exercício da cidadania não se esgota com o fim do processo eleitoral”, diz o documento.

Em um trecho da mensagem, a CNBB cumprimenta candidatos eleitos, deputados, senadores, governadores e presidente da República e “parabeniza ainda o Tribunal Superior Eleitoral por sua atuação no zelo de todo o processo democrático”.

“Todos possam caminhar unidos para a construção da política melhor, aquela que está a serviço do bem comum, conforme define o nosso amado Papa Francisco. São os votos da CNBB. É o que suplicamos em preces para o nosso país”.

Conheça a íntegra da mensagem abaixo:

PRESIDÊNCIA DA CNBB: “O EXERCÍCIO DA CIDADANIA NÃO SE ESGOTA COM O FIM DO PROCESSO ELEITORAL”

Saúde e paz!

A conclusão das Eleições 2022 convoca-nos, ainda mais, para a reconciliação, essencial ao novo ciclo que se abre. Agora, todos, indistintamente, precisam acompanhar, exigir e fiscalizar aqueles que alcançaram êxito nas urnas. O exercício da cidadania não se esgota com o fim do processo eleitoral.

A CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – cumprimenta candidatos eleitos, deputados, senadores, governadores e presidente da República. Parabeniza ainda o Tribunal Superior Eleitoral por sua atuação no zelo de todo o processo democrático.

Todos possam caminhar unidos para a construção da política melhor, aquela que está a serviço do bem comum, conforme define o nosso amado Papa Francisco. São os votos da CNBB. É o que suplicamos em preces para o nosso país.

Com a materna intercessão de Nossa Senhora Aparecida – Rainha e Padroeira do Brasil, Deus muito abençoe a sua vida e a sua família.

Fraterno abraço, com apreço.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte (MG)
Presidente da CNBB

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Primeiro Vice-Presidente da CNBB

Dom Mário Antônio da Silva
Arcebispo de Cuiabá (MT)
Segundo Vice-Presidente da CNBB

Dom Joel Portella Amado
Bispo auxiliar da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)
Secretário-geral da CNBB

Categorias
Artigos Enfoque Pastoral

Testemunhos Missionários da Diocese de Guarulhos

Queridos irmãos e irmãs, missionários e missionárias, “sereis minhas testemunhas”, esse é o convite do mês das missões 2022, com base no texto bíblico de Atos dos Apóstolos. É fundamental recordar que todos que receberam o batismo são convidados ao compromisso missionário como Igreja nas diversas realidades do mundo, pois a Igreja é missão. O principal objetivo da Folha Diocesana é manifestar em cada edição as ações evangelizadoras da Igreja como estado permanente de missão através da comunicação. Nesta edição de modo especial destacamos a mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Missões que se detém em três expressões-chave que resumem os três fundamentos da vida missionária dos discípulos: “Sereis minhas testemunhas”; “até os confins do mundo”; e “recebereis a força do Espírito Santo”. O ano jubilar missionário e a motivação para a Coleta Missionária como força do projeto de Igrejas irmãs como sinal da manifestação de unidade da Igreja e testemunho da prática do bem comum. A diversidade e riqueza missionária é notável nesta edição que você lê, curte e compartilha, vejamos alguns destaques:

A realização dos Conselhos Pastorais nas Foranias conduzida pelo bispo para ouvir as comunidades e refletir sobre o resultado da Assembleia Diocesana.  A visita Ad Limina dos bispos do regional Sul 1 ao Papa Francisco que demonstra através dos registros fotográfico e artigos, a força de uma Igreja simples e acolhedora capaz de revigorar a missão episcopal, mesmo diante dos enormes desafios presentes em cada realidade arquidiocesana e diocesana. A proximidade, simplicidade e acolhida do Papa Francisco, marca o encontro com os bispos e renova o convite para que sejam “evangelizadores que contraem o cheiro de ovelha e estas escutem sua voz”.

Um outro ato de alegria missionária foi a cerimônia de mais sete ordenações de diáconos permanentes que unidos aos já ordenados, marca a história da Diocese de Guarulhos e a força da Igreja povo de Deus, unida na diversidade dos ministérios, assim denominada no Concílio Vaticano II: “Para apascentar e aumentar sempre o povo de Deus, Cristo Senhor instituiu na sua Igreja vários ministérios, que tendem ao bem de todo o Corpo.” ( LG 273) Essa dimensão foi ressaltada com ênfase, como um desabafo, por Dom Edmilson Amador Caetano logo após a saudação inicial, como resposta as críticas negativas de alguns, em relação a necessidade da ordenação diaconal permanente. Que o clero, comunidades, pastorais, movimentos e organismos, acolham com humildade os diáconos permanentes, as esposas e familiares e valorizem esse dom para fortalecer a ação evangelizadora no mundo.

A evangelização da juventude também é destaque através da realização do Viva-a-Vida com excelente organização e participação. Enfim, desejo a todos que o mês missionário revigore o ânimo missionário e que juntos possamos alcançar o que rezamos na Oração do Criador escrita na carta encíclica Fratelli Tutti

“…infundi nos nossos corações um espírito de irmãos. Inspirai-nos o sonho de um novo encontro, de diálogo, de justiça e de paz. Estimulai-nos o sonho de um novo encontro, de diálogo, de justiça e de paz. Estimulai-nos a criar sociedades mais sadias e um mundo mais digno, sem fome, sem pobreza, sem violência, sem guerras. Que o nosso coração se abra a todos os povos e nações da terra, para reconhecer o bem e a beleza que semeastes em cada um deles, para estabelecer laços de unidade, de projetos comuns, de esperanças compartilhadas.”

 

Pe. Marcos Vinicius ClementinoJornalista e Diretor Geral

Categorias
Artigos Enfoque Pastoral

“Tua Palavra não passa por mim sem deixar um sinal” (Conf. Is 55,10-11)

Amados diocesanos, neste mês dedicado à Bíblia, juntos agradecemos ao Senhor que nos dá sua Palavra como a chuva que cai e fecunda a terra gerando em nós a conversão e fazendo germinar em nós frutos de Salvação” (Conf. Is 55,10-11). No Brasil já é uma tradição que em setembro seja celebrado o Mês da Bíblia em razão da festa de São Jerônimo, celebrada no dia 30, Santo que traduziu a Bíblia para o latim, no século V a pedido do Papa Dâmaso. Em 1971 nasceu a ideia de celebrar o Mês da Bíblia em setembro. Essa iniciativa ecumênica surgiu em Belo Horizonte, quando preparavam a semana bíblica. Porém, só no período de 1974 a 1975, que se expandiu em nível nacional, com apoio do SAB (Serviço de Animação Bíblica), tendo como objetivo manter o mês da bíblia.

Ao celebrar o Mês da Bíblia, a Igreja nos convida a conhecer mais a fundo a Palavra de Deus, a amá-la cada vez mais e a fazer dela a cada dia, uma leitura meditada e rezada. É essencial ao discípulo missionário o contato com a Palavra de Deus para ficar solidamente firmado em Cristo e poder testemunhá-Lo no mundo presente, tão necessitado de Sua presença.

Em nossa Diocese temos várias iniciativas que motivam o católico a fazer uso das Sagradas Escrituras em sua vida e ministérios. Entre elas destaco a ‘Escola da Palavra’ presente em muitas paróquias e também de maneira sistemática, organizada por foranias. Também temos a ‘Escola de ministério’ que durante todo ano introduz os leigos nos pensamentos teológicos, bíblicos e doutrinários. Quero aqui destacar a ‘Leitura Orante da Bíblia’ publicada em nosso jornal em alguns meses do ano.

            “Desconhecer a Escritura é desconhecer Jesus Cristo e renunciar a anunciá-lo. Se queremos ser discípulos e missionários de Jesus Cristo  é indispensável o conhecimento profundo e vivencial da Palavra de Deus. É preciso fundamentar nosso compromisso missionário e toda a nossa vida cristã na rocha da Palavra de Deus” (Documento de Aparecida – 247).

Roguemos a Virgem Maria para que sejamos dóceis à Palavra de Deus, e que Cristo Jesus, Palavra Eterna do Pai, habite em nós e gere em nós conversão, a vida Eterna.

 

Pe. Marcelo Dias SoaresCoordenador Diocesano de Pastoral