Diocese de Guarulhos

SÃO PAULO - BRASIL

“O Senhor fez em mim maravilhas.” (Lc 1,49)

Pesquisar
Categorias
Artigos Editorial

“Jesus, fazei o nosso Coração semelhante ao Vosso”

Queridos irmãos e irmãs, o tema de capa deste mês é o Sagrado Coração de Jesus, por isso é importante saber que: “a devoção ao Sagrado Coração de Jesus é muito antiga.

Alguns estudiosos indicam que ela surgiu com São João Evangelista, em dois momentos distintos: ao recostar-se no peito do Cristo durante a última ceia (cf. Jo 13,23) e ao testemunhar a lança perfurando o coração de seu Mestre na cruz, do qual jorrou sangue e água (cf. Jo 19,34). Contudo, essa espiritualidade se difundiu especialmente no século XVII, com Santa Margarida Maria Alacoque. À monja do Mosteiro da Visitação, na França, Jesus apareceu três vezes entre 1673 e 1675. Em uma destas ocasiões, disse à religiosa: “Vede Margarida, o coração que tanto amou o mundo e que recebe tanto desprezo”. Então, Santa Margarida Maria Alacoque se dedicou a propagar essa devoção, para reparar os pecados cometidos contra o Sagrado Coração de Jesus. A data foi instituída, em 1856, pelo Papa Pio IX, quase duzentos anos após as aparições. A Solenidade se dá sempre na segunda sexta-feira após Corpus Christi.

O Sagrado Coração de Jesus é retratado de acordo com a visão mística que a santa francesa teve. Nela, ela vislumbrou Jesus com Seu coração para fora do peito, com a chaga aberta pela lança, dilatado, coroado por espinhos e queimando de amor. Também há o ícone da cruz, que representa o sacrifício de Cristo pela humanidade.” Uma das saudações mais preciosas desta devoção é: Jesus manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao vosso. Ter o coração semelhante ao de Jesus é celebrar o jubileu de 2025 com o título A esperança não decepciona, como mensagem papal e motivada por Dom Edmilson.

É colocar-se a serviço do irmão com alegria e amor na vida em comunidade na Igreja e fora dela também, seja colaborando nas diversas formas celebrativas e pastorais, seja com o gesto maravilhoso de um país que se une, através da compaixão, para ajudar a população do Rio Grande do Sul. É utilizar os recursos da tecnologia e seus avanços com Sabedoria, pois afirma o Papa Francisco em sua mensagem para o 58º Dia Mundial das Comunicações Sociais de 2024: “O coração, entendido biblicamente como sede da liberdade e das decisões mais importantes da vida, é símbolo de integridade e de unidade, mas evoca também os afetos, os desejos, os sonhos, e sobretudo é o lugar interior do encontro com Deus. Por isso a sabedoria do coração é a virtude que nos permite combinar o todo com as partes, as decisões com as suas consequências, as grandezas com as fragilidades, o passado com o futuro, o eu com o nós.

Esta sabedoria do coração deixa-se encontrar por quem a busca e deixa-se ver a quem a ama; antecipa-se a quem a deseja e vai à procura de quem é digno dela (cf. Sab 6,12-16). Está com quem aceita conselho (cf. Pr 13,10), com quem tem um coração dócil, um coração que escuta (cf. 1 Re 3,9).

É um dom do Espírito Santo, que permite ver as coisas com os olhos de Deus, compreender as interligações, as situações, os acontecimentos e descobrir o seu sentido. Sem esta sabedoria, a existência torna-se insípida, pois é precisamente a sabedoria que dá gosto à vida.”

Peçamos ao Senhor, nesta solenidade do Sagrado Coração de Jesus, que sejamos seus instrumentos para testemunhar ao mundo que somos peregrinos de Esperança com um coração semelhante ao de Jesus.

Desejo excelente leitura a todos e não esqueça de curtir, comentar e compartilhar.

 

Pe. Marcos Vinicius Clementino

Jornalista e Diretor Geral

Categorias
Artigos Editorial

Buscar a sabedoria do Coração

Queridos irmãos e irmãs, a Virgem Maria, Mãe de Jesus “conservava a lembrança de todos os fatos em seu coração” (cf. Lc 2,51), tornando-se modelo perfeito de busca da verdadeira sabedoria do coração. Essa busca da sabedoria, o Papa Francisco, ressalta como fundamental em sua mensagem para o 58º Dia Mundial das Comunicações Sociais, diante dos enormes desafios propostos pelo avanço da tecnologia, declarando que: “Neste tempo que corre o risco de ser rico em técnica e pobre em humanidade, a nossa reflexão só pode partir do coração humano. Somente dotando-nos dum olhar espiritual, apenas recuperando uma sabedoria do coração é que poderemos ler e interpretar a novidade do nosso tempo e descobrir o caminho para uma comunicação plenamente humana.

O coração, entendido biblicamente como sede da liberdade e das decisões mais importantes da vida, é símbolo de integridade e de unidade, mas evoca também os afetos, os desejos, os sonhos, e sobretudo é o lugar interior do encontro com Deus. Por isso a sabedoria do coração é a virtude que nos permite combinar o todo com as partes, as decisões com as suas consequências, as grandezas com as fragilidades, o passado com o futuro, o eu com o nós. Esta sabedoria do coração deixa-se encontrar por quem a busca e deixa-se ver a quem a ama; antecipa-se a quem a deseja e vai à procura de quem é digno dela (cf. Sab 6,12-16). Está com quem aceita conselho (cf. Pr 13,10), com quem tem um coração dócil, um coração que escuta (cf. 1 Re 3,9). É um dom do Espírito Santo, que permite ver as coisas com os olhos de Deus, compreender as interligações, as situações, os acontecimentos e descobrir o seu sentido. Sem esta sabedoria, a existência torna-se insípida, pois é precisamente a sabedoria que dá gosto à vida.”

Outros apelos concretos desta busca da sabedoria do coração encontram-se nesta edição como no artigo de Dom Edmilson, sobre acolher de coração aberto a dinâmica da oração; na advertência do psicólogo Romildo sobre as mães adotivas na missão de salvar uma criança, que seja verdadeiramente de coração, e na adesão ao dízimo, como ressalta o Padre Ítalo: ser dizimista é abrir o coração.

Parabenizamos, de todo coração, aos seminaristas aprovados para a ordenação diaconal e desejamos que sejam diáconos conforme o coração de Deus. Que pela intercessão de Nossa Senhora, mãe da Igreja, possamos acolher de coração as mensagens da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil ao povo brasileiro e aos cristãos católicos.

A todas as mães nossas orações e fraterno abraço.

Boa leitura!

 

Pe. Marcos Vinicius Clementino

Jornalista e Diretor Geral

Categorias
Artigos Editorial

Revista Diocesana, um novo formato com a mesma Missão!

Caras irmãs, caros irmãos, é com alegria que a Coordenação Diocesana de Pastoral apresenta a primeira edição da Revista Diocesana, trata-se de um novo formato de comunicação da Diocese de Guarulhos em lugar da tradicional Folha Diocesana. A edição será mensal e disponibilizada nas diversas redes sociais; quanto as editorias não houve grandes alterações, apenas uma adequação ao formato digital para favorecer a leitura on-line. Solicitamos que todos ao acessar também possam compartilhar com os membros da família, amigos e grupos sociais, tornando-se assim um missionário da comunicação diocesana para o mundo, afinal como disse Jesus: “O que vos digo na escuridão, dizei-o à luz do dia; o que escutais ao pé do ouvido, proclamai-o sobre os telhados. Não tenhais medo…” (Mt 10,27).

Para favorecer a melhor relação com você foi criado um novo e-mail: revistadiocesana@diocesedeguarulhos.org.br, esperando que você participe das edições enviando um breve comentário sobre os artigos e até quem sabe a solicitação de matérias que possam ser contempladas nas diversas edições. Atenção: o seu comentário e sugestão poderá ser publicado nas próximas edições, por isso não esqueça de se identificar com nome completo e autorizar a publicação, seja você também um colaborador(a) e propagador(a) de cada edição, fazendo valer o convite da Campanha da Fraternidade: “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Mt 23,8), capazes de serem autores e não simples receptores, afinal com o avanço da tecnologia que é “técnica, processos, métodos e instrumentos de um ou mais ofícios ou domínios da atividade humana; no contexto da comunicação, estão ligadas ao desenvolvimento das ferramentas que possibilitam transmitir, armazenar e disseminar a circulação de informação”,  a comunicação se torna cada vez mais circular como é possível ler no Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil: “A comunicação da Igreja é uma ação desenvolvida por todo o corpo eclesial, em comunhão e sinodalidade. A missão na Igreja, também em nível comunicacional, está intimamente ligada à comunhão, e essa vida de comunhão dá à Igreja o rosto da sinodalidade, isto é, uma Igreja da escuta recíproca, onde cada um tem algo a aprender (…) cada um à escuta dos outros; e todos à escuta do Espírito Santo, o Espírito da verdade. Nas ações de comunicação da Igreja no Brasil, esses sujeitos são os fiéis leigos e leigas, os fiéis de vida consagrada e os fiéis ordenados.” (Documento da CNBB 99).

Nesta edição tratamos dos diversos aspectos da Campanha da Fraternidade através das mensagens do Papa Francisco à Igreja no Brasil; da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil; do coordenador diocesano de pastoral, o padre Marcelo Dias e da equipe diocesana da CF que realizou com sucesso o lançamento da Campanha nas Foranias. Confira também a motivação e esclarecimento de Dom Edmilson sobre o Ano da Oração, além da sua agenda episcopal de ação evangelizadora. Por falar em agenda, você também pode se organizar para melhor participar das diversas ações da Igreja, através da Agenda Diocesana atualizada nesta edição. Enfim, em nome da Coordenação Diocesana de Pastoral, peço a Deus que abençoe este novo projeto e a Virgem Maria, Senhora da Comunicação, que interceda pela elaboração de cada edição para que estejamos sempre atentos a ouvir o Espírito Santo.  Desejo excelente leitura e um ano abençoado de 2024!

Confira abaixo a Nova Edição: