Diocese de Guarulhos

SÃO PAULO - BRASIL

“O Senhor fez em mim maravilhas.” (Lc 1,49)

Pesquisar

Regional Sul 1 da CNBB envia padre missionário para diocese no Mato Grosso

O último dia da 86ª Assembleia Regional, encontro que reuniu bispos e lideranças eclesiais do Estado de São Paulo, foi marcado pelo envio missionário do Pe. Salvador Maria Rodrigues de Brito, do clero de Guarulhos, para Barra do Garças, no Mato Grosso. A experiência faz parte de convênio das Igrejas Particulares paulistas com a Diocese mato-grossense.

Em Celebração Eucarística, na manhã de quinta-feira, 6 de junho, o presidente do Regional Sul 1 e arcebispo de Sorocaba, Dom Julio Endi Akamine, resgatou o itinerário percorrido durante o encontro; passando pelo estudo acerca da teologia do domínio e da denúncia de “uma forma estranha de ecumenismo do ódio”.

Considerando a dinâmica sinodal de conversa no Espírito, experimentada entre a sexta e a sétima sessão da Assembleia, Dom Julio recordou que “mais do que nunca a Ação Evangelizadora no Regional Sul 1 precisa estar ancorada em Cristo”. Sublinhando que foi por amor a Deus e ao próximo que Jesus morreu na Cruz, o arcebispo de Sorocaba destacou que é o próprio Filho que revela o Pai. “A nossa Assembleia foi um impulso a nos concentrarmos no essencial que é Cristo. Ela apontou para um compromisso sinodal e para uma esperança que não decepciona”, concluiu o presidente do Regional Sul 1.

Gratidão
Dom Julio, ainda falando sobre os resultados da Assembleia, reafirmou um dos compromissos do episcopado paulista: a missão. O envio do Pe. Salvador à Diocese de Barra do Garças personaliza esse compromisso. “Nós não podemos oferecer do que está sobrando. Isso que é a verdadeira caridade; a caridade missionária”, disse o bispo diocesano de Guarulhos, Dom Edmilson Amador Caetano, O.Cist.

O convênio missionário do Regional Sul 1 com a Diocese mato-grossense começou a ser estabelecido a partir de fala do bispo de Barra do Garças, Dom Paulo Renato Fernandes Gonçalves de Campos. “Quero agradecer os senhores, primeiro, pela oportunidade da escuta. Deus lhes pague pelos preciosos e frutuosos momentos. Quero agradecer, também, pela ajuda efetiva de todos os bispos. Não posso deixar de mencionar a ajuda nos recursos humanos”, declarou Dom Paulo em vídeo enviado à Assembleia.

O bispo, na sequência da mensagem, igualmente mencionou a Diocese de São José do Rio Preto que, a partir do Instituto Imaculado Coração de Maria, de José Bonifácio, enviará missionários para aquela Região. “Continuamos com os desafios nessa terra de missão. A nossa carência continua sendo de recursos, mas nesse momento, de recursos humanos. O Regional Sul 1 e os bispos do Estado de São Paulo são aqueles que nos dão a mão nesses primeiros passos”, concluiu Dom Paulo Renato.

Testemunho
O Pe. Salvador, que seguirá para Barra do Garças, já viveu experiência, em dois períodos, no Continente Africano. Após o retorno ao Brasil, consideradas as situações de violência verificadas no primeiro trimestre de 2024, o presbítero colocou-se em oração e, em retiro pascal, decidiu declarar-se à disposição da experiência missionária do Regional Sul 1 da CNBB.

O padre assumirá, ainda no mês de junho, duas paróquias no Mato Grosso. Segundo ele, as sedes de cada Comunidade encontram-se distantes uma da outra cerca de 60 quilômetros. “Eu já estive em Barra do Garças e voltei com o coração ardendo. É um povo acolhedor, cheio de fé, que conta com um bispo apaixonado pela Igreja”, partilhou o missionário.

Elencando como maior desafio as distâncias territoriais, o Pe. Salvador sublinhou, como exemplo, que a sede da Diocese e Cuiabá, estão separadas por cerca de 500 quilômetros. “O bispo, uma vez por mês, se coloca nesse caminho para estar com os seminaristas que estudam na capital do Estado”, completou o presbítero. “A pessoa tem que se sentir vocacionada. Agradecemos a disponibilidade do Pe. Salvador que voltando, da África, disse querer continuar missionário Ad Gentes”, finalizou o bispo de Guarulhos, Dom Edmilson Amador Caetano, O.Cist, celebrando o envio do missionário no contexto da 86ª Assembleia Regional.

Fonte: Comunicação Regional Sul 1

Envio do Padre Salvador - CNBB Sul 1

NOTÍCIAS E ARTIGOS

Israel do Tribalismo à Monarquia

Com o declínio da dominação egípcia sobre a Palestina, no século XIII a.C., o sistema de tribos se afirmou até o século XI, quando então

O Reino do Sul (Judá) 1ª Parte

– Tribo de Judá: aparente tranquilidade; manteve-se fiel à dinastia Davídica (2Sm 7, 8 – 16; Sl 89, 4) – Templo de Jerusalém: único lugar