Diocese de Guarulhos

SÃO PAULO - BRASIL

“O Senhor fez em mim maravilhas.” (Lc 1,49)

Pesquisar

Dom Edmilson ordena nove novos Diáconos para a Diocese de Guarulhos

Em 3 de junho, na Paróquia São Judas Tadeu no Jardim Alice, testemunhamos um evento muito significativo — a Missa de Ordenação Diaconal, presidida por Dom Edmilson Amador Caetano. Nessa ocasião especial, nove homens foram ordenados diáconos, sendo sete permanentes e dois transitórios: Augusto César Vieira dos Santos, Bruno Santana Aguiar, Ediciel Francisco, Edson Souza, Everton Francisco Serqueira, José Celio Higino dos Santos, Ricardo Valério da Silva, Silvio Santos Melo e Ronaldo Carlos de Morais.

A homilia proferida por Dom Edmilson iluminou os principais conceitos que caracterizam a vocação diaconal: o dom da vocação, a missão e o serviço, todos enraizados nas Sagradas Escrituras.

Primeiro, como mencionado pelo bispo, a vocação é um dom de Deus. No livro do Profeta Isaías, lemos: “O espírito do Senhor DEUS está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas notícias aos pobres.” (Isaías 61:1). Da mesma forma, os diáconos não atuam por si, mas movidos pelo Espírito Santo, são escolhidos e enviados para uma missão na comunidade.

A segunda ideia apresentada por Dom Edmilson refere-se à missão específica dos diáconos, o serviço. Este conceito está arraigado nas palavras de Jesus Cristo em Marcos 10:45: “Pois nem mesmo o Filho do Homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” A Igreja, em sua essência, é chamada a ser uma igreja servidora, uma igreja samaritana, seguindo o exemplo de Jesus.

O serviço aqui, como sublinhou o bispo, não é meramente assistencial. A igreja não é uma ONG. O serviço dos diáconos é aquele que restaura a dignidade humana em todas as suas dimensões. Neste sentido, a vocação diaconal é intrinsecamente socio-transformadora, dando vida à dimensão da palavra e da liturgia.

Por fim, vale ressaltar que a ordenação diaconal, um sacramento da Igreja, configura aquele que a recebe à imagem de Cristo, que serve e dá a sua vida. Não é um papel que coloca o diácono no topo, mas sim um chamado para servir a todo o povo de Deus e à missão da igreja.

Esses novos diáconos, agora ordenados, estão sendo chamados a viver esse serviço em suas vidas e ministérios. Eles devem inspirar-se no exemplo de Cristo e na força do Espírito Santo para cumprir suas missões, servindo ao povo de Deus e trabalhando pela transformação da sociedade. Que eles abracem este chamado com fé e amor e sejam verdadeiros embaixadores de Cristo e do Evangelho.

Com essa ordenação diaconal, a igreja é enriquecida com novos servos, que estão dispostos a doar suas vidas ao serviço do próximo e a promover a paz e a harmonia em suas comunidades. O diácono, seguindo as palavras de Dom Edmilson, “não faz isso por si mesmo, mas pela força do espírito”.

A vocação diaconal também traz consigo a responsabilidade da liturgia e da palavra, elementos inseparáveis da missão de transformar a sociedade. Os diáconos, como ministros da palavra, devem ser canais de comunicação entre Deus e seu povo, e através da liturgia, devem fortalecer a fé dos fiéis e alimentá-los com a Eucaristia, o maior sinal do amor de Cristo pela humanidade.

Referindo-se à homilia de São Paulo VI na canonização dos mártires de Uganda, podemos entender que a vocação diaconal, assim como a vocação dos mártires, exige coragem e compromisso. A Igreja de hoje, como na época dos primeiros mártires, necessita de testemunhas, que estejam dispostas a dar suas vidas por amor à fé.

Através da vocação diaconal, os novos diáconos estão sendo chamados a manifestar esse testemunho em suas vidas e ministérios. Neste Ano Vocacional, eles se tornam exemplos vivos de como a vocação é uma graça concedida pelo Espírito Santo, que nos chama não apenas para a santidade, mas também para o serviço.

Em seus novos papéis, os diáconos são encorajados a mostrar a face servidora e samaritana da Igreja, cuidando do povo de Deus e trabalhando para transformar a sociedade, seguindo os passos de Jesus Cristo, que “veio para servir e dar a vida em resgate por muitos”.

Que esses novos diáconos encontrem a força e a inspiração para viver essa vocação em todas as suas dimensões, tanto na liturgia e na palavra, quanto na ação social e transformadora. Que eles sejam fiéis a esse chamado e contribuam para a construção do Reino de Deus aqui na terra. E que toda a comunidade da Diocese de Guarulhos os apoie em oração e ação, reconhecendo o valor de seu serviço diaconal e colaborando em sua missão.

 

Confira as fotos da Ordenação:

Ordenação Diaconal 2023

NOTÍCIAS E ARTIGOS

I Congresso Eucarístico Diocesano

No domingo, 13 de novembro, tivemos a realização do I Congresso Eucarístico Diocesano. O encontro começou com a concentração dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão