Pastorais

A IGREJA APRESENTA SEUS PLANOS PASTORAIS À CIDADE

.

Em 05 de abril de 1981, foi instalada como Diocese a cidade de Guarulhos que até então fazia parte da região pastoral II, da Diocese de Mogi das Cruzes. Guarulhos começava assim sua caminhada pastoral própria. Pesquisando os arquivos da Diocese, Livros de Tombo, informativos diocesanos e paroquiais, bem como as Atas do Conselho Diocesano de Pastoral e do Conselho de Presbíteros percebe-se quanto é rica a nossa história eclesial e pastoral. Muito se fez, muito se construiu nestes 30 anos. Cada paróquia tem sua história de projetos e realizações. Mas o que mais marcou todo este caminho foram as 09 Assembléias Diocesanas que nortearam o trabalho pastoral desenvolvido nesses anos.

.

A nova diocese busca definir seu rosto

Poucos meses depois da instalação da Diocese foi convocada a 1ª Assembléia Diocesana com a meta de escolher um objetivo pastoral que orientasse o rumo da nova Diocese: o anúncio de Jesus Cristo libertador através da participação comunitária e fidelidade ao povo oprimido priorizando a pastoral vocacional. a catequese e as pastorais sociais.

No ano seguinte, 1982, percebeu-se a necessidade de uma maior formação das lideranças bem como de uma melhor organização das equipes de pastoral.

Na terceira Assembléia, norteada pelas indicações da Conferência de Puebla, procurou-se o caminho para evangelizar em meio às transformações sócioeconômicas e culturais que estavam avançando junto ao fim da ditadura. Os cinco anos de criação da Diocese, em 1986, foram celebrados com satisfação pelas alegrias e vitórias colhidas neste tempo. O Bispo Dom João findando a quarta Assembléia Diocesana resumiu muito bem esses primeiros passos da nossa Igreja:

“Agradecemos a Deus a imagem de Igreja Evangélica que aqui, pela força do Reino de Deus, está sendo construída por meio dos seus fiéis e das suas 75 comunidades, sobretudo no trabalho evangelizador nas periferias. Surgiram 28 Centros Comunitários, surgiram serviços de promoção social voltados para o menor carente, para os idosos, famílias necessitadas e presos. Surgiram as vocações sacerdotais e religiosas, pessoas dispostas a assumir os desafios da evangelização hoje”. (BERGESE, João, 1986).

.

Novas estruturas e novos espaços para a pastoral

A 5ª Assembléia, em 1987, marcada pela inauguração do Centro Diocesano de Pastoral (hoje dedicado ao Pe. Jean Roch Forgette, falecido em 2009) e da Cúria Diocesana no Bom Clima, apontou a formação dos agentes leigos para o serviço específico no mundo, o trabalho para melhores condições de vida para o povo e o acompanhamento das famílias como campos prioritários da ação pastoral. Entretanto houve uma reorganização da estrutura da Coordenação Diocesana de Pastoral para um maior envolvimento dos coordenadores das 3 Regiões Pastorais em que estava organizada a Diocese.

.

Mudança de Bispo

A realização da 6ª Assembléia, prevista para maio de 1991, foi suspensa devido a nomeação de Dom João Bergese como Bispo de Pouso Alegre (MG) e aguardando a chegada do novo Bispo Diocesano, Dom Luiz Gonzaga Bergonzini. Em setembro de 1992, na carta de convocação para a 6ª Assembléia, Dom Luiz escreveu:

“Um trabalho muito sério há longo tempo vem sendo realizado para que desta Assembléia surja um Plano de Pastoral capaz de responder aos desafios que a reali- dade de nossa cidade suscita”. (BERGONZINI, Luiz Gonzaga, 1991)

A evangelização estava sendo de fato desafiada pela questão da modernidade e das mudanças sociais e culturais que começavam a despontar na realidade urbana. Tornava-se necessária uma maior participação da Igreja na sociedade, no mundo do trabalho, na questão ética entre outras prioridades. A Diocese apostou na formação, sempre necessária, na comunicação e na comunhão eclesial por meio da Pastoral de Conjunto.

.

Vem chegando um novo tempo

“Rumo ao Novo Milênio” foi o documento que marcou o seguimento do caminho pastoral de nossa Diocese que se preparou para mais uma Assembléia (a 7ª realizada em fevereiro de 1997) sob as orientações da Coordenação Diocesana de Pastoral, da Comissão do Jubileu e iluminada pela cartilha das pastorais Sociais “A Guarulhos que queremos e… amamos”. Foi elaborado um Plano de Evangelização da Diocese e Guarulhos que, escreveu Dom Luiz, “tem por meta realizar um grande mutirão de evangelização rumo ao Novo Milênio”.

.

Precisa avançar para águas mais profundas

O novo milênio chegou e o Papa João Paulo II convidou todos os cristãos a “avançar para águas mais profundas” no mar da evangelização. Atendendo ao chamado do Santo Padre preparou-se a 8ª Assembléia articulada em 3 etapas ao longo do ano de 2001. As novidades propostas por esta convocação diocesana foram, entre outras, a de criar um projeto missionário diocesano para atingir a cidade de Guarulhos nas diversas realidades; a de criar vigários e conselhos regionais responsáveis para cada uma das 3 Regiões Pastorais; a de utilizar mais a comunicação eletrônica e ter o Coordenador Diocesano de Pastoral liberado. Apresentando as conclusões, Dom Luiz escreveu:

“A 8ª Assembléia Diocesana estabeleceu eixos fundamentais para a vida de nossa Igreja tais como: Missionariedade, Unidade, Espiritualidade, Transformação Social, Formação de todo o povo de Deus e propôs uma transformação das estruturas internas da Igreja…”. (BERGONZINI, Luiz Gonzaga, 2001)

.

“Permanecei na cidade”

À espera da V Conferência dos Bispos da America Latina, que aconteceu em Aparecida em 2007, adiou-se a 9ª Assembléia para o ano seguinte. A urgência de uma renovação missionária e de uma conversão pastoral foi o maior destaque do Documento de Aparecida e foi o norte também para escolher as nossas diretrizes pastorais diocesanas. Depois de ampla avaliação do caminho pastoral nas comunidades e equipes pastorais e acolhendo as sugestões da própria Assembléia Diocesana a Coordenação de Pastoral elaborou o Plano Pastoral Diocesano “Permanecei na cidade” onde são apontado 6 caminhos pastorais prioritários: conversão pastoral das pessoas e das comunidades; atenção à família; fortalecimento da catequese; compromisso com os pobres; aprimoramento da comunicação e desenvolvimento de uma melhor acolhida de todos e nossas comunidades. O Plano Pastoral visa, pois, a realização aqui na cidade da Missão Continental, isto é uma renovada e firme ação missionária de evangelização junto ao povo que está em busca do encontro com Cristo e para que n´Ele todos tenham mais vida.

Coordenação Diocesana de Pastoral