Missa no circuito de Imola lembra 20 anos da morte de Ayrton Senna

0

1_0_795501Imola (RV) – A cidade italiana de Imola recorda Ayrton Senna, no 20º aniversário de sua morte, com uma série de homenagens. O piloto morreu em acidente na curva do Tamburello, disputando o Grande Prêmio de San Marino neste circuito, em 1º de maio de 1994, aos 34 anos.
Quarta-feira, 30, foi celebrada uma missa no autódromo, em memória a Senna e ao piloto austríaco Roland Ratzenberger, que morreu na mesma pista um dia antes do tricampeão. A cerimônia deveria ter sido realizada na reta em frente aos boxes, mas foi transferida para um salão do autódromo devido ao mau-tempo. Cerca de 300 pessoas, entre fãs e familiares, lotaram o local.
A missa foi celebrada pelo capelão da Fórmula 1, Pe. Sergio Mantovani, que já exercia essa função em 1994. “O Senna sempre rezava antes das corridas. Não consigo acreditar que já faz 20 anos… Eu estava lá quando o acidente ocorreu e me lembro de conversar com ele antes da corrida. Parece que foi ontem”.
Sob as bandeiras de Itália, Brasil e Áustria, Pe. Sergio Mantovani declarou: “Me marcou uma frase que Ayrton me disse: ‘Ninguém pode me tirar o amor que Deus tem por mim’”.
A cerimônia teve também cânticos brasileiros, como “Romaria”, composto por Renato Teixeira, que foi uma das músicas mais cantadas.
Nesta quinta-feira, haverá o primeiro evento do “Ayrton Senna Tribute – 1994-2014”. À tarde, a área no entorno da fatídica curva Tamburello será oficialmente batizada como Praça Ayrton Senna.
Na programação do evento, foi incluído um debate sobre os rumos que a segurança da Fórmula 1 seguiu após os acidentes. A comoção em torno da morte de Senna e de Ratzenberger trouxe melhorias de segurança para este esporte, com retas mais curtas, maiores áreas de escape nas curvas mais perigosas e motores menos potentes.

Fonte: News.va

Compartilhe:
Facebook
TWITTER
YOUTUBE
Instagram

Leave A Reply