Dom Edmilson participa da Vigília Pascal das Comunidades Neocatecumenais

0
No dia 4 de abril, no Centro Diocesano de Pastoral, foi celebrada a Vigília Pascal das Comunidades Neocatecumenais, com a presença do Bispo de Guarulhos, Dom Edmilson Amador Caetano, e do Padre Paulo Afonso.
 
Há muitos anos atrás, o povo de Israel saiu do Egito, atravessou o deserto e Moisés abriu o Mar Vermelho, para que este povo, o eleito do Senhor, pudesse fugir dos egípcios, que os escravizavam; este povo desiludiu o Senhor inúmeras vezes, mas Ele sempre os amparou e lhes deu mais uma oportunidade. Como tal, fez com que este povo entrasse na Terra Prometida, um desejo de um povo tão escravizado.
 
Foi com esta saída do Egito e passagem do Mar Vermelho, que nasceu a Páscoa, ainda hoje celebrada, por este motivo, pelo povo judaico.
 
Páscoa significa, para os israelitas, exatamente isso: passagem. Passagem da escravatura para a liberdade, da tristeza para a alegria.
 
É a Ressurreição de Cristo que dá um novo sentido à palavra Páscoa. Passou a significar passagem da morte para a vida, não só da morte espiritual, mas também da morte corpórea.
 
No caminho neocatecumenal, que é um itinerário de formação cristã para jovens e adultos, vivenciamos a experiência da Páscoa no seio da comunidade, onde somos gestados na fé.
 
Merece particular destaque o momento da vigília em que as crianças presentes perguntam aos seus pais: “porque esta noite é diferente”? E aos pais cabe a beleza de testemunhar aos filhos a experiência da ressurreição de Cristo, através da própria vida.
 
É esta Boa Nova que com alegria anunciamos, que Cristo, que nasceu da Virgem Maria, sem pecado original, que foi condenado e crucificado, que foi anunciado por profetas, durante muitas gerações e veio ao mundo para que tudo o que estava nas Escrituras se cumprisse Nele, RESSUSCITOU de entre os mortos, para dar a vida aos pecadores e oprimidos. Para dar a vida a cada um de nós.
 
Em Cristo, a morte foi vencida e isto é a nossa Páscoa.
 
Os acontecimentos vividos pelo povo de Israel são retratados num cântico chamado “Dajenu”, cântico este que é cantado ao final da Vigília Pascal, relembrando as maravilhas deste grande acontecimento.

 
Délcio Aparecido Fernandes
Paróquia São José

Compartilhe:
Facebook
TWITTER
YOUTUBE
Instagram

Leave A Reply