O 3º Bispo

Dom Joaquim Justino Carreira

O papa Bento 16 nomeou, em 23 de novembro de 2011, Dom Joaquim Justino Carreira, Bispo Diocesano de Guarulhos, na Grande São Paulo, transferindo-o da Arquidiocese de São Paulo, onde exercia a função de vigário episcopal para a Região Santana. Dom Joaquim sucede a dom Luiz Gonzaga Bergonzini, que teve sua renúncia aceita pelo papa, por ter alcançado o limite de idade canônica (75 anos). A posse de dom Joaquim como terceiro bispo diocesano de Guarulhos ocorreu no dia 22 de janeiro de 2012, no estádio Poliesportivo Thomeuzão em Guarulhos.

No dia 01 de Setembro de 2013 Dom Joaquim após um longo período de luta contra um câncer no intestino veio a falecer, deixando assim um legado que ficará para a história de nossa diocese.

Trajetória de Dom Joaquim

Dom Joaquim assumiu a Diocese com 62 anos. Natural da cidade de Santa Catarina da Serra (Portugal). Foi ordenado bispo no ano de 2005, com o lema episcopal “Pax Vobis”, pelo cardeal dom Cláudio Hummes.

Dom Joaquim estudou filosofia na Faculdade Anchieta, em São Paulo, e teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma (Itália). É mestre em Matrimonio e Família, pelo Pontifício Instituto para a Família, da Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma.

Antes de ser ordenado bispo, dom Joaquim exerceu as seguintes atividades: vigário paroquial da Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus – Jundiaí – SP (1977), vigário cooperador da Catedral Nossa Senhora do Desterro – Jundiaí – SP (1977-1983); pároco da Paróquia São Sebastião – Itupeva – SP (1983-1984); administrador paroquial da Catedral Nossa Senhora do Desterro – Jundiaí – SP (1984-1986); vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Carmo – Jundiaí-Mirim – Jundiaí – SP (1986); vigário paroquial da Catedral Nossa Senhora do Desterro – Jundiaí – SP (1986-1988); vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Rosário – Campo Limpo Paulista, para iniciar a Paróquia de São Francisco de Assis – Campo Limpo Paulista – SP (1988); pároco da Catedral

Nossa Senhora do Desterro – Jundiaí – SP (1992-2000) e administrador Paroquial da Paróquia Jesus de Nazaré – Cabreúva – SP (2004).
No ano de 1980, foi nomeado o 1º Reitor do Seminário Maior Diocesano de Jundiaí, função esta que exerceu por 12 anos. Foi ainda, coordenador do Curso de Filosofia e Professor do Seminário Maior de Jundiaí entre os anos de 1980 e 1988.

Na Arquidiocese de São Paulo, exercia a função de vigário episcopal para a Região Episcopal Santana e era bispo referencial para a Pastoral da Liturgia (Comissão Arquidiocesana de Liturgia e Arte Sacra e Comissão dos Bens Culturais da Igreja) e para a Pastoral da Vida e da Família (Pastoral Familiar; Preparação para o Sacramento do Matrimônio; Encontro de Casais com Cristo; Movimentos e Associações Familiares; Movimento de Valorização Humana; Equipes de Nossa Senhora; CENPLAFAM; Confederação das Famílias Cristãs e Pastoral da Terceira Idade).

Brasão de Armas de Dom Joaquim Justino Carreira

“Um sinal visível do nosso ministério”

O Brasão é sinal de identificação, programa de vida e ministério do Bispo. O escudo é em formato português, tripartido na horizontal nas cores verde (simbolizando o mundo a evangelizar), vermelho (representando o Sangue redentor de Cristo) e azul (representando o céu). Apóia-se em uma Cruz trifoliada em ouro, encimada pelo chapéu prelatício episcopal, com seis bordas pendentes dos flancos na cor verde. No listel, dourado, vê-se a inscrição com o lema “PAX VOBIS” (“A PAZ ESTEJA CONVOSCO” – Jo 20,21s).

Campo verde: (representa o mundo a evangelizar)

Livro dos Evangelhos: “O conteúdo da missão”. Indica a missão do Apóstolo e de todos os evangelizadores. “Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. Eis que Eu estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos!” (Mt 28, 19-20).

Campo vermelho: (representa o sangue de Cristo derramado para nossa salvação)

As três Cruzes: “Proposta de Deus e resposta dos homens livres”. A Cruz central representa o amor em que Cristo nos amou dando a sua vida por nós, para o perdão dos nossos pecados e de todos os pecados do mundo. As outras duas Cruzes à direita e à esquerda representam os dois ladrões crucificados ao lado de Jesus, símbolo da humanidade escrava do pecado e da morte, porém, livre para acolher ou rejeitar a proposta de amor do Pai, manifestada em Jesus Cristo crucificado.

Campo azul: (é o símbolo do céu, nosso destino final – a vida eterna para o qual fomos criados)

A Estrela e o Ramo de Azinheira: “Maria, Estrela da Evangelização”. A estrela simboliza Maria, que intercede por nós e continua a nos dizer “fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5). O ramo de Azinheira, junto à estrela, é uma homenagem às aparições de Nossa Senhora em Fátima onde os “pastorzinhos” viram a Mãe de Deus e nossa Mãe, “uma Senhora mais brilhante que o sol”.

Lema: “PAX VOBIS”

É a saudação de Cristo ressuscitado aos Apóstolos, cheios de medo e fechados numa casa. “a Paz esteja convosco”. O fato, extraordinário, lhes causa grande alegria. Em seguida, Jesus sopra sobre eles o Espírito Santo e os envia a levar o perdão (cf. João 20, 21ss). A Paz e o Perdão se realizam no meio de nós através da missão de todos os evangelizadores.

 

Carta de Dom Joaquim à cidade de Guarulhos

Leia aqui a Carta de Saudação de Dom Joaquim à cidade de Guarulhos – Dom Joaquim à cidade de Guarulhos

Nota de Falecimento de Dom Joaquim Justino Carreira

A DIOCESE DE GUARULHOS COMUNICA COM IMENSO PESAR o falecimento de seu terceiro Bispo Diocesano S. Exa. Revma. DOM JOAQUIM JUSTINO CARREIRA, no dia 1º. de setembro de 2013, às 23h45, no Hospital AC Camargo, SP, acompanhado pelas preces e pelo carinho do Povo de Deus, de seus familiares e amigos.

 As celebrações exequiais terão lugar na Catedral Nossa Senhora da Conceição, Praça Tereza Cristina, 01, Centro, Guarulhos, SP, nesta segunda-feira, dia 02 de setembro, a partir de hora a ser ainda determinada. O dia e o horário do sepultamento serão definidos e oportunamente comunicados.

Elevemos ao Pai das Misericórdias nossa súplica filial para que Dom Joaquim seja acolhido pelos anjos e santos no festim da eternidade, pelas mãos da Virgem de Fátima. Que ele ouça dos lábios do Cristo, Pastor dos pastores, o convite: vem, servo bom e fiel, e entra na alegria de teu Senhor. (cfr Mt 25,23) Receba a coroa da glória eterna por ter combatido o bom combate e guardado a fé, numa vida de intensa dedicação a Deus e ao seu povo santo. Configurado ao Senhor Jesus, Sacerdote, Profeta e Rei, pelas Sagradas Ordens, participe agora do banquete celestial, e alcance a visão bem-aventurada.